The Tolkienaeum: Ensaios sobre J.R.R. Tolkien e seu Legendarium

The Tolkienaeum, (Mark T. Hooker) é uma nova coleção de ensaios que exploram diversas facetas da obra de Tolkien. Hooker foi homenageado em 2012 com o Beyond Bree Award, um prêmio dado pela publicação Beyond Bree em reconhecimento de contribuições relevantes para o estudo de J.R.R. Tolkien. The Tolkienaeum é o quarto volume sobre a obra de Tolkien de autoria do Mark Hooker.
tolkienaeum_cover
Especialista em Tradução Comparativa, Hooker mostra que sua obra tem uma perspectiva linguística, começando pela ótica filológica e suas histórias com o qual Tolkien era familiar. Essa é a essência do Tolkiennymy, expressão criada por Hooker para a linguística de Tolkien.

O ensaio de abertura compara as semelhanças entre as tramas de clássico de Júlio Verne ''Viagem ao Centro da Terra'' e ''O Hobbit'' . A batalha de Agincourt (na Guerra dos Cem Anos) e o papel que desempenhou na arquearia no legado do imaginário inglês são contrastadas com a Batalha de Fornost e o envio de arqueiros hobbits.

Por mais que a palavra/raça Hobbit seja uma criação de Tolkien, os ensaios buscam uma fonte para a referida palavra, que foram expostas primeiramente em Beyond Bree e ampliadas para este volume.

O que é diferente sobre esses ensaios é que eles são de um linguista que compartilha valorização de histórias de texto de Tolkien, e que joga no mesmo tipo de invenção linguística que Tolkien apreciavaEnquanto os ensaios são linguística, eles foram escritos com a ''não-linguista'' em mente. Os jargões inevitáveis do campo são explicado em um glossário, e a narrativa dá uma visão não-técnica de como línguas sintéticas de Tolkien se encaixam no quadro geral da linguística.

BeyondBreeAward

Uma característica especial da segunda metade deste volume é a compreensão e uso de proto-indo-europeu (PIE) nas raízes de Tolkien. O ensaio sobre a Tolkiennymy para a palavra lobo, por exemplo, revela uma raiz PIE se escondendo e não reconhecida na famosa obra As EtimologiasDestacando, explicando e revelando não só as habilidades que de Tolkien, mas também a habilidade linguística que era obrigado a fazer.

O amplo conhecimento de Tolkien nas questões mito-linguística é explorado em um ensaio que explora que, nas línguas indo-europeias primeiramente haviam uma distinção entre animado e inanimado, conceito desenvolvido pelo linguista francês Antoine Meillet (1866-1936), que observou que os gêneros masculino e feminino designavam os seres animados, do sexo macho e fêmea e, o inanimado, compreendia o neutro. Embora não haja menção de Meillet na doutrina de Tolkien, há características do linguista francês na linguista de Tolkien.

Há ensaios separados no uso do eslavo e raízes finlandesas na obra de Tolkien. Embora existam ensaios sobre Tolkiennyms individuais com base em raízes galesas, não há ensaio do welsh em separado (o ''welsh'' é uma ramificação das línguas celtas faladas nativamente no País de Gales). Esse foi o tema do volume anterior a esta coletânea: Tolkien and Welsh.

Tolkien justamente observou que muitos sobrenomes em ''inglês'', que vão desde os mais raros até os mais familiar, são linguisticamente derivado de Galês (ou britânico), a partir de nomes de lugares, patronímicos, nomes pessoais, ou nick-names, ou são, em parte, de modo derivado, mesmo quando a origem não é exata. A etimologia para o sobrenome Gamgee é um desses casos. (ver nosso texto sobre ''Gamgee'' AQUI)

Invenção linguística é um produto da mente, portanto, não regido pelas regras fixas e imutáveis ​​das ciências. Como Albert Einstein disse uma vez: "A imaginação é maior do que o conhecimento.''

519iKmiWxpL

Este livro combina os dois ensaios anteriormente publicados e não publicados, para reunir a obra do autor em um volume conveniente. A maioria dos ensaios publicados foram especialmente revisadas e ampliada para essa obra.

Bibliografia:

HOOKER, Mark T. Beyond Bree. USA: CreateSpace, 2012
HOOKER, Mark T. The Hobbitonian Anthology: of Articles on J.R.R. Tolkien and his Legendarium. USA: CreateSpace, 2009
<http://middleearthnews.com/2014/06/20/the-tolkienaeum-by-mark-t-hooker-explores-many-aspects-of-tolkien/> acesso em: 22 de Junho de 2014
SILVEIRA, Jane Ramos. Masculino e Feminino? A Categoria Gramatical de Gênero e a Teoria do Valor. Campinas. Unicamp, 2010

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *